Rosa Parks - O símbolo do movimento dos direitos civis

Atualizado: 27 de jul.

Pela memória de Rosa Parks, produzimos um episódio dedicado a quem seria mais tarde reconhecida como o símbolo do movimento dos direitos civis. Bom divertimento!




Era fim de tarde em Montgomery, Rosa Parks voltava pra casa depois de um dia corriqueiro no trabalho. Mal podia ela imaginar que o que estava pestes a acontecer desencadearia uma série de eventos que marcaria a luta dos direitos civis nos Estados Unidos.


Em Montgomery, capital do Alabama, a lei redigida em 1900, era clara: Nos ônibus, os assentos da frente eram reservados para passageiros brancos. Os negros, por sua vez, só podiam se sentar nos assentos de trás. Nesse dia, Rosa Parks estava sentada em um dos assentos da frente, quando o motorista exigiu que ela e outros três negros se levantassem para dar lugar a brancos que haviam entrado no ônibus. Parks se recusou a levantar-se.


O motorista insistiu, ela continuou sentada e, por isso, foi detida e levada para a prisão. A notícia da prisão de Rosa Parks correu a cidade. Foi então que um reverendo se interessou pelo caso e cansado dos abusos da segregação racial no país, decidiu tomar providências. O reverendo era, nada mais, nada menos do que Martin Luther King. Juntamente com as associações dos bairros, Martin Luther King liderou um grande boicote aos transportes públicos. A iniciativa para surpresa dos próprios organizadores foi um sucesso.


Em vez de pegar os ônibus, a população negra passou a ir a pé ou de bicicleta. Muitos por chegarem atrasados nas fábricas, perderam o emprego. Mas o fato não os fez amolecer diante do boicote. A população se organizava da melhor forma para dar carona aos amigos e vizinhos. Logo, as companhias de ônibus amargavam enormes prejuízos enquanto os negros caminhavam pelas ruas, por quilômetros a fio, acenando e cantando. Os brancos tomavam aquilo como um ultraje e muitas vezes os xingavam. O boicote aos ônibus havia tomado um vulto inimaginável. Enquanto isso, Rosa Parks foi julgada e condenada por violar as leis de segregação. A multa foi de 10 dólares, mais 4 dólares pelos custos judiciais.


O julgamento de Rosa Parks, a liderança e o carisma de Martin Luther King e o sucesso do movimento repercutiu em todo o país. Em fevereiro de 1956, a prefeitura de Montgomery decreta o boicote aos ônibus uma prática ilegal. Rosa Parks e Martin Luther King são presos. A prisão dos dois líderes só fez crescer a visibilidade do movimento e outras cidades passaram a aderir ao boicote de ônibus, como Birminghami, Alabama e Tallahasee, Florida. Houve atentados a bomba na casa de Martin Luther King e muitos negros eram hostilizados nas ruas.


Finalmente, em 13 de novembro de 1956 a Suprema Corte aboliu a lei de Segregação. Terminava ali um episódio que mais tarde seria conhecido como o berço das lutas pelos direitos civis nos Estados Unidos. O boicote aos ônibus durou 382 dias e contou com a participação de mais de 30 mil pessoas.


 

Texto, Narração & Sonoplastia de Marcelo Madeira



4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo