Resenha Sonora – Livro The Walking Dead – A Ascensão do Governador

Eu nunca fui ligado em histórias de zumbis. Sempre preferi dramas vampirescos ou lendas de lobisomem. Talvez por isso, demorei a me interessar pela série televisiva The Walking Dead. Assisti ao primeiro episódio da série meio que por um acaso. E adorei. A medida que os episódios avançavam, eu descobria que a série não se tratava apenas de mortos-vivos com braços erguidos grunindo em busca de carne humana. Era mais do que isso.


The Walking Dead aborda o tema da sobrevivência. Como sobreviver num mundo pós-apocalíptico. Os sobreviventes não somente têm de lidar com os mortos-vivos, mas também saber como viver em pequenas comunidades, estabelecer alianças, administrar os excassos recursos, restruturar a ética e a moral, não perder a dignidade e ainda ter a preocupação de como educar as crianças num mundo dominado por zumbis.


Escute a Resenha Sonora do Universo Candura


O primeiro episódio foi ao ar na TV americana no dia 31 de outubro de 2010. A série televisiva é baseada na série de quadrinhos de Robert Kirkman lançada em 2004. E desde então, um fenômeno de crítica e público. É interessante notar a íncrivel semelhança do primeiro episódio de The Walking Dead, tanto dos quadrinhos como da televisão, com o filme “Extermínio” de 2002 do diretor Danny Boyle. Segundo o autor de The Walking Dead a história do homem-que- sai-do-coma-e-descobre-que-os-zumbis-invadiram-o-mundo é apenas uma mera concidência.


Um ano após a estreia na TV, Jay Bonansinga sob a supervisão de Robert Kirkman lança o primeiro volume do livro The Walking Dead – A ascenção do Governador.


O livro retrata os primeiros dias da epidemia zumbi. Era ainda possível acompanhar as notícias no rádio, televisão pelo celular. Havia a esperança de que o exército tomaria as medidas necessárias e a epidemia seria contida. Mas o que se viu, foi o aumento do número de zumbis e a violência entre os próprios sobreviventes. De uma hora para outra, as notícias cessam e o desespero toma conta da população.


Para os fãs da série The Walking Dead, o livro é um apêndice e um belo complemento para se aprofundar na história do Governador e sua trajetória até ele se transformar no tirano que comanda a cidade de Woodbury.


Os personagens centrais do livro são cinco: os dois irmãos Philip e Brian Blake, seus dois amigos de longa data; Bobby e Nick e a filinha de Philip Penny. A narrativa é envolvente e mistura momentos de ação, suspense e até mesmo doses de romance. O mais incrível é a forma que o autor consegue enveredar pelos sentimentos dos personagens e desnudar suas angústias, seus medos, seus traumas. Muito da narrativa se dá pelos pensamentos dos personagens e muitas vezes são pensamentos confusos e desesperadores. Afinal de contas o mundo que eles conheciam ruiu.


A relação dos dois irmãos Philip e Brian é conturbada. Philip é o mais destemido, corajoso e não hesita em tomar a iniciativa, Brian por sua vez é medroso e vacilante, mas no decorrer da história Brian tem de fazer escolhas para proteger a si mesmo e seus entes queridos. E o livro aborda isto muito bem; como a luta contínua pela sobrevivência é capaz de moldar o carácter até mesmo do ser humano mais honrado. E esse é o terror de Walking Dead. Até que ponto o ser humano é humano.


Cheio de reviravoltas o livro culmina num final surpreendente. Mesmo para quem não acompanha a série pelas histórias em quadrinhos ou pela televisão, a leitura é mais do que recomendada, pois não há a necessidade de conhecer o enredo do The Walking Dead para compreender o livro. O livro já é por si só puro entretenimento!


Artigo de Marcelo Madeira


 

"Entrevista com Zumbi" faz parte do acervo do Universo Candura, reportagens realizadas no decorrer do ano de 2013, 2014 e 2015 com o apoio das Radio Comunitárias na Suíça.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo